coluna Xadrez

Goiânia mantém histórico de oposição ao governo

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em 30 de janeiro de 2020
Desde 1992, o eleitor goianiense rejeitou todos os candidatos a prefeitura apoiados pelo governo do Estado - Foto:

Venceslau Pimentel 

Desde a vitória do petista Darci Accorsi, no pleito de 1992, e agora com Maguito Vilela (MDB), o eleitor goianiense sempre rejeitou o candidato oficialmente apoiado pelo Palácio das Esmeraldas. De lá para cá o governo acumula oito derrotas, a última, agora, com Vanderlan Cardoso (PSD). Na era do PSDB, considerando a gestão do aliado Alcides Rodrigues, sagraram-se vencedores Pedro Wilson (PT), em 2000, Iris Rezende (MDB) em 2004 e 2008, Paulo Garcia (PT) em 2012, e novamente o emedebista em 2016. Na fila dos derrotados, nesse período, estão a tucana Lúcia Vânia, o pepista Sandes Júnior (por duas vezes consecutivas), Jovair Arantes (ex-PTB) e Vanderlan Cardoso, então filiado ao PSB. 

Coadjuvante 

Em 20 anos de poder, o PSDB de Marconi Perillo só conseguiu lançar nome próprio com Lúcia Vânia, em 2000. De lá para cá, o partido (que se fortaleceu no interior), atuou como coadjuvante na capital em sete eleições. 

Base forte

Para começo de conversa, Maguito Vilela terá maioria absoluta na Câmara de Goiânia, com 25 vereadores, número suficiente para a aprovação de matérias de interesse do Paço. A oposição, a princípio, fica com dez votos dos partidos que apoiaram Vanderlan Cardoso. 

Cotado 

Na avaliação de vereadores eleitos, a pré-candidatura do emedebista Anselmo Pereira à Presidência do Parlamento goianiense se fortalece com a vitória de Maguito Vilela. Mas lembram que o jogo pode mudar na virada da noite da eleição, marcada para o dia 1º de janeiro de 2021. 

Em frente 

A equipe de campanha do prefeito eleito vai se reunir ainda hoje, para fazer uma avaliação do trabalho nos dois turnos e os próximos passos a serem tomadas, ainda sem a presença do emedebista, que continua internado na capital paulista. Antes, tem agenda com o prefeito Iris Rezende. 

Apoio 

Campeão de votos em Anápolis, o vereador reeleito Leandro Ribeiro (PP) se coloca como pré-candidato à Presidência da Câmara, com o apoio do correligionário Roberto Naves, prefeito reeleito. 

Tô fora! 

O alto índice de abstenção, somado a quem votou em branco ou anulou o seu voto, chegando a mais de 50% do eleitorado, pode ser atribuída, em parte, à pandemia do novo coronavírus. Mas não só. O eleitor mandou recado do seu desencanto com a política. 

Pra 2021 

Com o fim do segundo turno, a Câmara de Goiânia vai se debruçar sobre o texto da lei orçamentária da prefeitura para 2021, estimado em R$ 6,4 bilhões, já que o prazo para apresentação de emendas terminou na semana passada. 

Reserva 

Caberá ao deputado Chico KGL (DEM), como relator, cravar na Lei Orçamentária do governo para o ano que vem os recursos destinados às emendas impositivas de cada um dos 41 parlamentares. O valor unitário é de R$ 5,5 milhões, totalizando R$ 225,5 milhões. 

CURTAS 

- Está a cargo do deputado Virmondes Cruvinel (Cidadania) a relatoria do projeto da Mesa Diretora da Alego que cria o Gabinete Itinerante dos deputados. 

- Hoje vai ter missa pela vitória e recuperação de Maguito Vilela, a ser celebrada por dom Washington Cruz.

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar